Benefícios e Riscos – Bombas de Infusão de Fármacos

Os estudos mostram que as bombas de infusão de fármaco (sistemas de infusão intratecal de fármaco) podem aumentar o alívio da dor e o conforto para as pessoas com dor crônica grave.1-5 Converse com o seu médico a respeito dos benefícios, riscos e responsabilidades envolvidas no uso de uma bomba de infusão de fármaco para dor crônica.

Benefícios

Tipicamente, as pessoas que obtêm sucesso com bombas:

  • Sentem um significativo alívio da dor1-5
  • Usam doses significativamente menores do que com a medicação oral1-5
  • Têm menos efeitos colaterais que aquelas que usam medicação oral1-5
  • São capazes de melhorar em suas atividades da vida diária1-5

Além disso, com esse tratamento:

  • A dosagem pode ser ajustada para o seu conforto
  • É reversível – o seu médico pode remover o sistema
  • Você pode testar a terapia por um breve período antes de receber um implante permanente

Riscos

Como com qualquer tratamento para a dor, podem ocorrer efeitos colaterais.

Os riscos podem incluir:

  • Complicações cirúrgicas, como infecções
  • Efeitos colaterais do fármaco (sintomas de dose excessiva ou insuficiente)
  • Sangue (hematoma) ou fluido (seroma) na região onde a bomba é implantada
  • Fugas de líquido espinhal, resultando em dores de cabeça ou outros problemas, e ferimentos à medula espinhal
  • Um cateter deslocado ou bloqueado
  • A bomba pode parar de funcionar
  • Massa inflamatória na ponta do cateter

Essas complicações podem causar uma redução ou perda no alívio da dor, e podem requerer cirurgia para serem corrigidas.

Referências

  1. Onofrio BM, Yaksh TL. Long-Term Pain Relief Produced by Intrathecal Infusion in 53 Patients. J Neurosurg 1990; 72: 200-209.
  2. Winkelmuller M, Winkelmuller W. Long-Term Effects of Continuous Intrathecal Opioid Treatment in Chronic Pain of Nonmalignant Etiology. J Neurosurg 1996; 85: 458-467.
  3. Paice JA, Penn RD, Shott S. Intraspinal Morphine for Chronic Pain: A Retrospective, Multicenter Study. J Pain Symptom Manage 1996; 11(2): 71-80.
  4. Lamer TJ. Treatment of Cancer-Related Pain: When Orally Administered Medications Fail. Mayo Clin Proc 1994; 69:473-480.
  5. Portenoy RK. Management of Common Opioid Side Effects During Long-Term Therapy of Cancer Pain. Ann Acad Med 1994; 23:160-170.

A orientação médica não pode ser substituída pelas informações contidas neste site. Sempre converse com o seu médico sobre diagnóstico e opções de tratamento.

Section Navigation

Additional information

Brasil